sexta-feira, 29 de junho de 2012


Parte II

Ela passou o dia todo na cama. Não tinha vontade de nada, nem de comer, nem de sair, nem mesmo de dormir. Duas batidas na porta.
- Posso entrar?
- Pode.
- Como você está?
- Excelente - e deu um sorriso forçado.
- Ainda por cima é péssima para mentir.
- Nem sou... 
Mariane respirou fundo.
- Então, o que te traz aqui?
- Vim abrir as janelas do teu quarto!
- Clarice! Não faça isso!!! - Em segundos, a menina foi até a janela e abriu a cortina. Um sol lindo brilhava lá fora, e suas retinas doeram com tanta claridade. Mas isso não a animava nem um pouco.
- Olha, luz!
- Ah, não diga?! 
- Você está com um humor péssimo Mari!
- Hm... - A garota só baixou a cabeça.
- Vem cá, me conta o que aconteceu...
- Não.
- Sou sua amiga, estou aqui para te escutar, me conta.
- Eu cometo erros.
- Todo mundo comete.
- Mas esse não tem volta.
- Erros não tem volta.
- Não! Não tem volta ele!
- Será?!
- Eu magoei demais ele...
- Entendo...
A luz do sol batia de leve em seu rosto. Uma lágrima caiu.
- Não chore. Você tem que orar agora.
- Faço isso a cada segundo que passo trancada aqui.
- Vocês deveriam conversar.
- Ele precisa pensar.
- Depois que ele pensar...
- É... Mas ainda assim, ele deixou claro que está muito magoado comigo.
- Ele gosta de você?
- Gosta.
- Então.
- O que?
- Ele vai pensar, se aquieta. Enquanto isso você continua orando, pedindo perdão e uma chance para Deus.
- Eu vou mudar?
- Você já não evoluiu até aqui?
- Sim...
- É questão de tempo Mari. As coisas mudam com o tempo, e foi com ele que você foi mudando. Não somos perfeitos! Lembra quando eu sai escondida? E detalhe, engravidei da Noah. Meu pai, minha mãe e minha família, juraram nunca me perdoar. Eles esfriaram a cabeça, pensaram melhor e viram que não foi por mal, que foi um erro e que o que eu mais precisava no momento era apoio. 
- Família é diferente.
- Não é não. Família também se magoa, família também tem amor. O que é diferente?
- Ah sei la. Só estou... - As lágrimas vieram de vez e ela não conseguiu mais conter seu choro.
- Chore, alivia... E você precisa disso.
- Eu preciso de uma oportunidade.
- E você terá!
O sol já estava se pondo, o frio começou a entrar pela janela.
- Errei muito Clarice, mas também acertei muito. Não seria justo deixar um amor ir, sem que eu tenha a chance...
- Shiiiu. Eu sei tudo o que se passa no teu coração. Você terá. Você é especial Mari, você tem um coração grande e bom, você erra, mas sempre faz de tudo para recuperar isso, você é leal e acredita demais nas pessoas. Você aprende com o tempo, porque isso se aprende assim. É o tempo que vem mostrar o quanto estamos crescendo, amadurecendo e o quanto errar faz parte do aprendizado. Por mais que as coisas deem errado, é assim que se cresce. 
- Ainda dói...
- Vai doer. Seu erro está pesado em seu coração, porque nem você mesma se perdoou ainda. E você precisa primeiro disso. Se perdoe. Depois peça perdão a Deus. 
- Não quero sofrer... Já me doeu tanto Cla...
- Acalme-se Mari...  Se você já pediu perdão, já fez sua parte, e isso é muito importante. Ele precisa pensar, acalmar o coração e colocar na balança. Ver se realmente vale a pena uma segunda chance. Quando ele enxergar isso, ele te procura. Enquanto isso, mantenha-se calma, em oração.
- Obrigada Clarice. Me vejo tão desesperada trancada aqui. Eu estou procurando forças, porque eu tenho que mudar meus erros.
- E você vai. Confio em você. - Clarice abriu um sorriso e abraçou a amiga. Sentia um aperto no coração por ela, mas sabia que as coisas iam melhorar, confiava no potencial da amiga.
O sol se pôs e elas ficaram ali abraçadas, até que Mari pegou no sono e adormeceu. Clarice fechou a cortina e saiu do quarto fechando a porta. Milhares de flashes se passaram em sua cabeça de quando ela errou. Parecia que não tinha fim os dias, ela esperando um perdão, uma resposta, uma luz. Quando todas as portas haviam se fechado, alguém a abraçou e disse que ela merecia perdão.
Ela sorriu e saiu da casa.

"Errar é tão humano. Aprender com os erros, muito mais."



"Não ver você, não tem explicação
É caminhar pela escuridão
Ficar afim e não poder falar
Querer o sim e não se acostumar
Com a solidão, o medo de amar
Estranho vazio no seu olhar
Eu tento achar em algum lugar
O amor que você deixou pra trás"

Vem pra cá- Papas da Lingua ♫


P.S: Ah, para avisar que estou sem face.. Então contatos pelo twitter @souza_juu

10 comentários:

Agregador Teia mulher disse...

Olá.
Adorei seu blog,muito legal e interessante,parabéns.
Até mais

Elen Abreu disse...

Olá!
Boa noite =)
Adorei conhecer seu blog, acho que achei no de uma amiga.
Gostei do texto, que bom que o tempo passa, esse tempo que resolve tudo, até os erros mais impossíveis.
Te sigo já, te convido a conhecer o meu blog.
Beijos e boa noite!

Gabriela Freitas disse...

Adorei o conto Jú, no fim nossos erros nos ensinam para que no futuro saibamos o que fazer.

Jeniffer Yara disse...

Hey, não acompanhei a estória, estou sem tempo pra ler toda ela agora, mas pelo que li nesse post, você escreve muito bem e não é só por que estou retribuindo seu comentário,rs *O* E ah, obrigada pelo seu comentário lá no blog <3

Beijos
Meu outro lado

Ayala disse...

Lindooo seu blog,
xoxo'

Lu disse...

Oi flor.. que bela continuação, achei demais, mostrou muito como a amizade na nossa vida faz toda a diferença. Obrigada pela visita lá no meu blog, volte sempre =)
Bjs, eu voltarei.

O Profeta disse...

Corre a vida numa tela
Fotograma verdade, fotograma mentira
A preto e branco bate um seco coração
Uma mulher diz que no amor é verdadeira…

Vem comigo ao cinema paraíso


Boa semana


Doce beijo

Gisele Braga disse...

Olá Ju, boa noite!
Adoreii o textos, parabéns
escreve muito bem!

Eu me identifiquei, é realmente
doloroso perder quem a gente ama,
e por erros que talvez possamos
consertar... Mas quem quer ficar e
lutar, fica ao nosso lado sempre!

Bjos grande! xD

Emilie S. disse...

continuação do outro conto,não? olha eu fico com um pé atrás porque não sei se é um conto ou se é....bem,deixa eu interpretar as coisas:

sabe o que isso me parece? que quem errou foi você, e amiga a te consolar é a sua consciência. - mas, isso só é um chute,claro
Emilie Escreve || Fanpage || @blogabs

Laís Sandrigo disse...

''Curto canetas coloridas, agendas, sapos e joaninhas.'' Que fofa você! *-*

Tive que baixar a música da Ashley que você cita na parte1. Muito bonita. Eu adorei! *-* E sobre a história... Fiquei totalmente presa aos diálogos. Vontade de abraçar a Mari pra confortá-la. =( Mas a amiga tem toda a razão... Erros são cometidos, e com o tempo, se for pra ser, eles são perdoados. *-* Seguindo aqui, com certeza! ;)