segunda-feira, 27 de agosto de 2012


Parte VI

- Eu tinha certeza que iria te encontrar aqui! - Mari conhecia bem aquela voz.
- Desculpa Clarice, precisava pensar...
- Pensar no que Mari?
- Acho que não devo ir a esse baile... Sei que o Jean estará lá e bom, ele nem ao menos respondeu minha mensagem.
- Mari, lembra do que o Alan te disse? - Clarice sentou ao lado da amiga. - Levanta a cabeça e vamos sim. Quem sabe, é nesse baile que as coisas vão se acertar.
- Não me dê esperanças Cla...
- Não estou dando esperança, estou apenas dizendo que as coisas mudam o tempo todo e ficar em casa chorando não vai resolver nada. - O celular de Clarice começou a tocar. 
- Oi Alan! Já encontrei ela... Uhum... Sim, sim. Ela está bem... Ok chero, até mais tarde. - Clarice desligou o telefone e viu Mari com um olhar perdido.
- O que mais está passando nessa cabecinha oca Mariane?
- A gente viveu tantos momentos aqui nesse lugar... Esse banco... A gente sempre sentava aqui e ficávamos falando do futuro, dos medos e dando risadas. Essa praça era nosso lugar sabe Clarice - Ela fechou os olhos e sorriu. - Eu venho aqui todos os dias, só para poder sorrir. Me traz paz, sei lá...
- Ah minha querida, guarde tudo o que você viveu de bom. Guarde com carinho e tenha paciência. As coisas vão se ajeitar. - Clarice abraçou a amiga e as duas deixaram lágrimas escorrer. - Agora chega de chorar! Vamos que o Alan está preocupado e eu ainda tenho que te arrumar para hoje a noite.
- Ai, ai vocês dois! Vamos então. - As duas sairam dali e foram para a casa de Mari. Alan já estava no portão esperando as duas impaciente.
- MARIANE,  QUANDO VOCÊ SUMIR OUTRA VEZ, EU JURO QUE VOU TE SOCAR!
- ALAN, vamos comer! - Todos riram da cara que a garota fez e entraram para comer alguma coisa.
- Clarice, você deveria abrir uma barraquinha dessas coisas naturais! Sério, esse teu sanduíche... fica... muito... bom!- Alan falava a cada mordida.
- E você deveria fazer aulas de boa educação e saber que não se fala de boca cheia.
- Vocês dois podem parar de se alfinetar?! - Mariane tinha sempre que impedir ou os dois começavam uma discussão. Era engraçado, por mais que rolassem esses atritos, era tudo na brincadeira.
- Ok, ok. Agora vai tomar banho que eu vou pegar as coisas de maquiagem no carro. - Clarice tinha um tom autoritário as vezes.
- Tudo bem mãe, você que manda. - Mariane fez um "sentido" e subiu para seu quarto tomar banho. Sentia a água cair sobre sua pele, como se estivesse fazendo carinho. Fechava os olhos e vários flashbacks passavam em sua mente.

"- A conta de luz e água vai vir alta esse mês...
- Quieto Jean, preciso do meu banho de beleza!
- Mas já é o terceiro hoje!
- Que culpa eu tenho se você me sujou de chocolate?
- Faz bem para a pele... - Jean fez cara de malicioso e mordeu o lábio inferior. Mariane abriu a porta do box e jogou água nele.
- Ah, sua... sua... - Ele procurava o que falar.
- Sua...? - Agora era Mariane que sorria maliciosamente, provocando o garoto para ter uma resposta.
- Sua linda! - Ele entrou no box de roupa e tudo e os dois começaram um longo beijo. As mãos de Jean passavam sobre as costas da garota e iam descendo devagar..."

- MARIANE! MORREU NO CHUVEIRO? - Clarice bateu na porta e fez a garota abrir os olhos e despertar para a realidade, deixando de lado sua linda lembrança. Desligou o chuveiro, e respirou fundo. Uma sensação estranha rondava sua mente, ela só não sabia definir se era boa ou ruim. Saiu do banheiro e deu de cara com a amiga.
- Se você fosse uma noiva, o noivo já teria desistido.
- Nem demorei tanto assim Cla.
- Capaz, só 40 minutos! - Clarice sabia ser irônica sempre.
- Vai fazer a maquiagem ou não?
- E eu dou bolo em alguém?! - As duas riram e Clarice começou a arrumar amiga. Algum tempo depois, ela estava pronta. Um friozinho na barriga, a sensação estranha ainda rondando, mas ela não iria deixar de ir. Clarice estava certa, ela precisava levantar a cabeça porque tudo muda o tempo todo, e ela tinha que seguir seu coração.

"Que é Deus, que te faz entender toda poesia
Que torna mais valiosa a vida
E prova que ainda dá pra ser feliz
Apenas atenda quem chama
E peça que nesta noite Ele te toque
E cure todas suas feridas
E vele o sono e espere acordar
Amanhã será um novo dia"
----------

Dudes, história quase chegando no fim. Muito abrigada pelos comentários e emails! Qualquer coisa, twitter @souza_juu

15 comentários:

Anônimo disse...

Os elogios são feitos para tornar os bons ainda melhores, e você Juh, merece todos os elogios possíveis!
A sua habilidade em escrever os textos é excelente. Mas o que mais me impressiona são as emoções que cada linha da leitura é capaz de passar para o leitor, digno de uma exímia poeta!
Minhas parabenizações, continue assim.

Com carinho.
NNCR

Gisele Braga disse...

Olá Juh, Boa noite!
Mais um texto gostoso
de ler.. gosto muito do
jeito que escreve, cada linha
parece que tem um significado, parece real.
Gostei mto do post!

Beijos linda!

Juliana Fachini disse...

Você escreve muito bem! Parece que a gente se perde no meio das linhas sabe, entrando cada vez mais dentro do texto.

bjs
http://quaseatoa.blogspot.com.br/

Jeniffer Yara disse...

Bah, a narrativa é tão boa, dá vontade de ler mais e mais, espero poder acompanhar até o final *O*

Beijos
Meu outro lado

Anônimo disse...

muito bom Julinha...

Marie Motta disse...

Quero ler até o final pq já me agarrei a essa história.
Beijos

Emilie disse...

estou torcendo pras coisas se resolverem no final.
essa história parece uma novela

Dil Santos disse...

Oi Ju, tudo bem?
Menina, que lindo, eu tô adorando e estou curioso pra saber a continuação, rs. Só não vale Mari ficar deprê, rs
Brigadão pelas felicitações menina, tô meio atrasado em responder e tal, mas eu estava precisando ficar um tempo afastado do blog, rs
Bjo menina

Dil Santos disse...

Já ia esquecendo, vc tem face? Se tiver me add e outra coisa. Já votou em mim no prêmio TopBlog? Se ñ vota lá menina, tô precisando de uns votos, rsrs e se já peça uns votos pra mim a seus amigos por favor. Vc notou o desespero da pessoa né? kkkkkk
Bjo

Marcella Nicolini Furtado disse...

Adorei essa parte da história!
Impossível se esquecer de coisas marcantes, né? Como por exemplo o flashback da Mari...
Gostei muito!

Beijos,
Marcella
Diário de Marcella

Brunno Lopez disse...

Estou um pouco perdido na cronologia mas o farei logo menos.

Essa parte está um tanto intensa e nota-se uma preparação muito bem feita para algo maior, o final inesperado.

Curioso pelo que virá a seguir.

Helen disse...

Vou voltar e ler desde o início...


Beijos

Anônimo disse...

Informatіνe аrtіclе, just what Ι wаs looking for.


Here is my pаge :: payday loans

Mulher na Polícia disse...

Tá me devendo o final dessa história, lembra???

: )

Mulher na Polícia disse...

Por que os melhores blogs acabam assim???

HUMPF...

#voltajúvolta