sábado, 16 de abril de 2011


Caminhos - Parte I

As folhas caiam lentamente. Ela estava sentada naquele mesmo banco em que eles brigaram a última vez. Fechava os olhos e uma lágrima lhe escapava pela face.

“Aonde estiver, espero que esteja feliz e encontre seu caminho...”

As pessoas iam passando por ali e a observavam chorar. Ela não ligava. Era seu momento, sua mágoa, sua dor. Pouco importava o que estava ao redor.

“Guarde o foi bom e jogue fora o que restou...”

Respirava fundo, fechava os olhos e se concentrava: é hora de crescer, acabou. Seriam essas as palavras que a encorajariam a seguir em frente. O sentimento ainda estava ali, ele se fazia presente em cada pensamento dela e ela não se esqueceria dele assim. Mas ela sabia o que era o melhor a se fazer. Ela sabia que era hora de arriscar, porque tudo o que estava acontecendo não fazia mais sentido, só causava dor.

“Tem horas que não dá pra esconder no olhar,
Como as coisas mudam e ficam pra trás,
O que era bom hoje não faz mais sentido.
É, uma hora isso ia acontecer.
A vida cobra e a gente tem que crescer.
Me pergunto se você pensa em mim como eu penso em você”

Ainda de olhos fechados, ela sente que alguém senta ao seu lado.
- Você precisa de ajuda? – Talvez sim, talvez não. Ela ficou quieta e continuou deixando as lágrimas escorrerem.
- Você não quer falar né?
- É um assunto que não me faz bem.
- Hm... Eu vi desde que você chegou, que você não para de chorar e nessas horas, um abraço faz bem. – Ela abriu os olhos. Do seu lado, um garoto moreno, olhos claros e alto a observava com um olhar de compaixão. Ela deu um meio sorriso e sem pensar duas vezes abraçou o garoto.
- Como você sabe? – Ela ainda estava abraçada a ele.
- Eu não sei. Eu só senti. – Ela o largou. Olhou em seus olhos e ao invés de lágrimas eles sorriram. Brilharam de esperança, de alívio. Será que um simples abraço teria curado tanta dor?
- Anne.
- Dave.
- Amanhã, no mesmo horário ok? – Ela levantou e foi embora sem nem olhar para trás, afinal não precisava, porque o abraço foi tão reconfortante que tudo dele estava presente no ambiente. Um abraço... Quem diria.


“Eu vejo a vida tem vários caminhos
E entre eles o destino improvisa,
Nos pequenos detalhes da vida,
A resposta está escondida”
NxZero - Aonde Estiver

9 comentários:

Gabriela Freitas disse...

que doce, que lindo

Fabi disse...

Um abraço as vezes vale por mil palavras.
Adorei seu blog.
Especial
vou segui vc, bjos

Anônimo disse...

fiquei curioso para o final Júzinha.

Leonard M. Capibaribe disse...

Estou maravilhado com as suas palavras... MUITO BOM! Gotei demais desse post.

ღ Sensitivity ღ disse...

Primeiramente, muito obrigada pela sua visita. Até a metade do texto você falou de mim, risos. Pena que não teve o garoto moreno de olhos verdes, mas tive amigos maravilhosos. Lindo texto. Você escreve com uma sensibilidade, gosto disso. Seguindo. Beijinhos.

Grazielly AB disse...

Olá, Jú!

Obrigada por suas palavras e pelo teu blog: é de uma sensibilidade incrível ^^
Estou seguindo!

Ah, respondi seu comments lá no post do meu blog!

Bjão :*

Luana disse...

Adorei a história, correndo para ir ver a sengunda parte...

Beijos!

Anônimo disse...

Bah, a música do nxzero acabou com o final, haha

/O inexistente agora/

Kafé Universitário disse...

Olá minha doce Júlia!

Comentário atrasado, né?

Desculpe-me.

Mais que post lindo.... Como sempre co-relaciono com algo a meu respeito e por isso acho que sempre gosto tanto de suas postagens... rsrs

Enfim a música do NX caiu muito bem e sinceramente amo essa música e só essa da banda pq o que vale e o que permanece no final é as boas lembranças e é isso que nos faz viver e crescer... E o ato de ajudar alguém mesmo que tenha medo isso é sempre nobre e poucas pessoas sabem ser assim

Beijos

Sempre aqui

Patrícia