quinta-feira, 21 de abril de 2011


Caminhos - Parte II
O sol brilhava por entre as árvores e o vento batia leve em seu rosto. Ela sorria delicadamente esperando que ele chegasse. Enquanto isso observava os passarinhos brincando no lago. Eles voavam de um lado para outro, cantando sempre sem esperar nada, nem ninguém.
- Esperando alguém? - Alguém tampou seus olhos e um hálito fresco soprou em seu ouvido.
- Talvez... - Ela pegou nas mãos dele e aquele arrepio que não sentia há muito tempo voltou a percorrer pela sua nuca. Sem ela perceber, ele estava sentado ao seu lado, observando também os passarinhos.
- Hm... Por um instante, pensei que você estava me esperando.
- Talvez...
- Você é sempre assim?
- Como?
- Meio termo.
- Hm... Talvez. - Ela deu uma risada e ele também. Fazia tanto que ela não ria com aquela vontade.
- Normalmente eu sou mais direta, mas agora ainda estou procurando equilíbrio, então prefiro não dizer "sim" nem "não", um "talvez" basta.
- Você me parece melhor hoje.
- Estou me recuperando, afinal, a vida continua e quem perdeu foi ele. - Ela nunca desejou o mal de ninguém, mas ele machucou tanto os sentimentos dela, que ela queria que ele sofresse muito. Que ele encontrasse alguém tão ruim, como ele foi para ela. Ela tem esperança que um dia ele admita que a perdeu por sua própria culpa.
- E agora, alguém vai ter chance de te ganhar novamente?
- Quem sabe... Sim, isso foi um "talvez". - Ela olhou para ele, riu e encostou a cabeça em seu ombro. Nos seus olhos não tinham mais lágrimas. No seu coração, havia paz.


Ele a fez sofrer, a fez chorar e agora ela não ama mais ele.


Ela não o trocou por ninguém, apenas por ela mesma.

8 comentários:

Luana disse...

Ela não trocou ele por ninguém apenas por ela mesma. Lindo.

Ainda bem que ela foi rápida, deu uma chance para o coração dela voltar a bater, não perdeu tempo. Queria ter feito isso...

Beijos

Gabriela Freitas disse...

Ela não trocou ele por ninguém apenas por ela mesma.
lindo, lindo.
ela só se recuperou não é? É o que tenho qe começar a fazer

Alicia disse...

Bela troca!

JB disse...

Gostei imenso do seu espaço. Uma escrita que revela sensibilidade, fluidez que nos faz viajar nas entrelinhas, nos gestos, nos sentires...

Delicioso!

Beijinho!

Anônimo disse...

Espero sinceramente que ela encontre alguém que realmente a faça feliz como ela sempre mereceu ser!

Júlia disse...

Oi anônimo! Acho que já é a segunda vez que você passa por aqui... Será que tem como se identificar? Gostaria de agradecer pelos comentários =)

E seja sempre bem vindo =*

Guiga disse...

que fácil

/o inexistente agora/

Kafé Universitário disse...

Oi de novo... kk

Então o final arrasou... O fato de preferir a nós mesmo em um momento de dor é sábio, pois penso que a a solução nunca está fora de nós próprios por mais que isso seja difícil....

Mais penso que mesmo depois de tanto tempo eu ainda me encontro na fase do "talvez" e isso dói... É muita dúvida...

Beijos meu bem

Se cuide

PAtrícia